título

Ano letivo 2019/20 arranca no dia 23 de setembro

Governo diz que já tem 26 manuais impressos.

O ano letivo 2019/20 vai arrancar no dia 23 de setembro, informou hoje a ministra da Educação, Martiza Rosabal, que indicou que tudo está a ser preparado para evitar atrasos na disponibilização dos manuais e na colocação dos professores.

 

A governante, que falava durante uma audição parlamentar na tarde hoje sobre os preparativos para o próximo ano lectivo, disse que para evitar problemas registados durante este ano lectivo, o processo de recrutamento de novos professores foi iniciado já em Maio, devendo todo o processo estar concluído a 16 de Agosto.

 

“Quer isto dizer que nós teremos tempo suficiente e para estarmos confortável. O objectivo é que no dia do inicio do ano escolar, a 02 de Setembro, termos já os professores recrutados. Está tudo calendarizado e está indo sem problema”, disse a ministra.

 

Maritza Rosabal falou também dos manuais e indicou que neste momento tudo está a ser feito para que os alunos tenham os seus manuais a tempo e hora e com os conteúdos adequados ao novo plano curricular.

 

“Já temos já impressos em estoque ou nas gráficas 26 manuais escolares. Destes, há 16 na Tipografia Santos e três na Gráfica da Praia e 16 que estão no processo de revisão, prevendo-se a entrega nos próximos dias”, precisou a ministra, adiantando que o Ministério da Educação está a seguir todo processo de forma “muito atorada” para garantir que os prazos sejam cumpridos.

 

Para o próximo ano lectivo, o Ministério da Educação elegeu como tema central a questão da protecção social das crianças e dos adolescentes.

 

Conforme indicou, trata-se de um tema importante, que está em pauta e que tem preocupado não só ao Governo como também toda a sociedade e por isto mesmo a tutela quer trabalhar essa questão num processo que envolve toda a sociedade.

 

“Há uma série de campanhas a decorrer, mas nós temos que trabalhar com as famílias e a escola é um importante veículo. Os temas a serem tratados são a questão do abuso sexual, dos maus-tratos e trabalho infantil, mas também oferta de cuidados”, disse

 

Na perspectiva da ministra, neste momento o país começa a viver uma realidade demográfica, que em termos escolares permite capitalizar espaços para aumentar o tempo de permanência de crianças, sobretudo crianças que têm défice de cuidado ou que precisam de apoio de aprendizagem nos outros tempos que não estão nas escolas.

 

Um outro elemento importante para o próximo ano lectivo são tecnologias nas escolas.

 

Maritza Rosabal anunciou a introdução de um módulo sobre a tecnológica a partir do 5º ano de escolaridade e o aumento da conectividade nas escolas.

 

A ideia, segundo indicou, é que todas as escolas tenham acesso à internet. Neste sentido, vai se apostar no equipamento das escolas que ainda têm equipamentos informáticos e preparar os professores para esse salto tecnológico, tanto a nível do ensino aprendizagem como também da gestão.

 

De 22 a 26 de Julho vai ser realizada um ateliê nacional sobre as tecnologias nas escolas para a preparação de todo esse processo.

 

SAPO C/ Inforpress

12.06.2019

Partilhe: Facebook Twitter