título

CMP assume reabilitação de duas escolas degradadas na capital no valor de aproximadamente 13 mil contos

A Câmara Municipal da Praia (CMP) vai reabilitar a escola do Ensino Básico Integrado (EBI) do Lavadouro e o liceu Constantino Semedo, todos na Cidade da Praia, num valor de cerca de 13 mil contos.

O ato foi ontem formalizado através da assinatura de um protocolo assinado pelo edil praiense, Óscar Santos, e pelo diretor-geral de Planeamento, Orçamento e Gestão (DGPOG) do Ministério da Educação (ME), José Marques.

 

Na ocasião, Óscar Santos reconheceu que na Cidade da Praia há muitas escolas em degradação, pelo que o ato de assinatura do referido protocolo se reveste de grande importância, já que, segundo ele, o setor do ensino é “fundamental” para a cidade capital.

 

Por sua vez, José Marques disse que até 2021 o seu Ministério da Educação vai assinar vários protocolos com a CMP para a reabilitação dos imóveis escolares e “preparar as escolas para a reforma em curso” e, assim, “garantir a qualidade do sistema educativo”.

 

A maior fatia do montante disponibilizado vai para a escola do EBI do Lavadoura, já que de acordo com o DGPOG do ME, este estabelecimento do ensino precisa de uma “intervenção profunda”, enquanto o liceu de Achada de S. Filipe necessita de “pequenas reabilitações”.

 

Óscar Santos garante que num prazo de uma semana os trabalhos de reabilitação nos dois estabelecimentos do ensino vão ter lugar.

 

“Já temos uma lista restrita de empresas preparada e o prazo de execução das obras é de três meses, mas creio que dentro de 45 dias os trabalhos serão, seguramente, concluídos”, garantiu o presidente da CMP.

 

Segundo o DGPOG do ME, o plano de reabilitação das escolas do país está orçamentado em mais de 300 mil contos e a sua execução será por fase, ou seja, à medida que o Governo vai disponibilizando recursos para o efeito.

 

A assinatura deste protocolo enquadra-se no projeto de ampliação e remodelação das infra-estruturas educativas e é financiado pelo Governo de Cabo Verde, através do fundo do tesouro.

 

Instado para quando estão previstas as obras de reabilitação do Olavo Moniz, no Sal José Marques adiantou que vão acontecer “muito em breve”.

 

3 de agosto

SAPO c/ Inforpress

Partilhe: Facebook Twitter