título

Cooperação Luxemburguesa disponibiliza 3,5 milhões de euros para reabilitação de 100 escolas do Ensino Básico

A Cooperação Luxemburguesa disponibilizou ao Governo 3,5 milhões de euros (cerca de 400 mil contos), para implementação do Programa de Apoio ao Setor da Água e Saneamento e para a reabilitação de 100 escolas do Ensino Básico nos próximos três anos.

A garantia foi dada pela encarregada de Negócios do Grão-Ducado de Luxemburgo em Cabo Verde, Angèle da Cruz, depois de presidir à abertura do encontro que reúne os 22 delegados do Ministério de Educação para analisar e discutir sobre a melhoria das condições de higiene e do saneamento das escolas nacionais.

 

Segundo explicou, o objectivo é que o Programa de Apoio ao Sector da Água e Saneamento contribua para que as escolas tenham melhores condições higiénicas, acesso a água e saneamento e contribuir para o aprendizado e melhoria da qualidade de vida dos alunos e docentes.

 

“O projeto, que teve inicio em 2017, com experiência piloto nas escolas de Pensamento e Eugénio Lima, beneficiou cerca de 1200 alunos e professores, e recomendou importantes lições , bem como elementos de inovação que poderão ser replicados e implementados nas restantes 98 escolas que o programa pretende reabilitar a nível nacional até 2020”, sublinhou.

 

Angèle da Cruz adiantou que, para além dessas ações, o programa contempla ainda um conjunto de atividades de informação, educação e comunicação, numa parceria com as comunidades escolares, mas admitiu que o sucesso deste programa depende da correcta utilização e conservação das infraestruturas.

Por seu turno, a ministra da Educação, Maritza Rosabal, que agradeceu o apoio que a cooperação luxemburguesa tem dado ao setor da educação em Cabo Verde e não só, sublinhou que o programa irá contribuir para o reforço do conhecimento das crianças, dos docentes e todo pessoal que lida directa ou indirectamente as estruturas escolas.

 

“Neste momento, foram seleccionadas 35 escolas da ilha do Maio e de Santiago. O projecto, que vai ser realizado por fases e estendido a todo o país , prevê a intervenção em 100 escolas do Ensino Básico, cerca de 1/3 das estruturas escolares de Cabo Verde”, revelou , assegurando que o Governo está a fazer também intervenções a nível de reabilitação e reestruturação em outras escolas , através de verbas do Tesouro do Estado.

 

Segundo explicou a governante, o ministério irá identificar quais são as escolas com maior dificuldade, sublinhando que existem estruturas que exigem apenas reabilitação e outras que requer construção de raiz.

 

“Uma outra questão que estamos a trabalhar e que integra o projecto de construção e reabilitação é a melhoraria das cantinas escolares, sendo que o nosso objetivo é fazer com que as escolas sejam um espaço de práticas positivas e de multiuso”, indicou a ministra, frisando que todo o investimento vai contribuir para melhorar a qualidade da educação.

 

06.02.2018

SAPO c/Inforpress

Partilhe: Facebook Twitter