título

Coordenadora da Escola Família das Aldeias SOS enaltece ganhos do programa

Programa funciona há dois anos.

A coordenadora da Escola Família das Aldeias SOS, Sona Candé manifestou ontem, dia 5, na Cidade da Praia, a sua satisfação para com os ganhos obtidos durante os dois anos em que o programa foi implementado em Cabo Verde.

 

“Nós tivemos alguns ganhos relativamente à mudança de comportamento na forma como os pais tratam seus filhos”, explicou a responsável em declarações à Inforpress, ao analisar, em jeito de balanço, o funcionamento da Escola Família, um programa das Aldeias SOS Cabo Verde que completa agora dois anos.

 

Como forma de o balanço desses dois anos do programa que tem desenvolvido os mecanismos necessários que contribuem para essa mudança de atitude, o programa Escola Família das Aldeias SOS promove um ateliê de dois dias que arranca esta quarta-feira, no Estádio Nacional, Cidade da Praia, a partir das 09:00.

 

Sona Candé esclareceu que o evento vai observar a forma como a escola conseguiu capacitar os pais com sessões de formação, que permitiram adquirir competências necessárias para cuidar bem das suas crianças, sendo que após essa capacitação, as famílias foram ainda acompanhadas com atendimento psicológico.

 

No entanto, segundo a coordenadora da Escola Família, os mesmos podem ser encaminhados também para os parceiros de atendimento, caso se perceba que as necessidades ultrapassam as capacidades da Escola Família.

 

“A Imobiliária Fundiária e Habitat (IFH) é um dos parceiros no caso de necessidade de habitação, assim como o Hospital da Trindade, para atendimento mais detalhado”, realçou.

 

Apesar de o foco das Aldeias Infantis SOS Cabo Verde ser a criança, a organização entende que não se pode desenvolver um trabalho que se quer holístico, sem o envolvimento da sua família.

 

É neste contexto que, em 2016 e com o apoio do Ministério da Família e Inclusão Social, deu-se início ao projecto Escola de Família.

 

O programa arrancou com 16 famílias que faziam parte da casa de acolhimento de crianças em situações de emergência e, posteriormente, foi alargado o número para 40, dentro das localidades onde as Aldeias SOS intervêm, designadamente em Fonton e Kelém, em Achada Santo António, Rincão e Santa Catarina.

 

Em Cabo Verde existem duas Aldeias Infantis SOS, uma na cidade de Assomada e uma outra em São Domingos, Ribeirão Chiqueiro, acolhendo respectivamente 157 crianças nas suas 20 casas familiares, dez em cada aldeia.

 

6 de junho de 2018

 

SAPO/ Inforpress

Partilhe: Facebook Twitter