título

Federação das Caixas Agrícolas portuguesa oferece 5.500 'kits' escolares a Cabo Verde

A Federação Nacional das Caixas de Crédito Agrícola Mútuo (FENACAM) entregou ontem ao Instituto Camões cerca de 5.500 'kits' escolares destinados a crianças cabo-verdianas que vão iniciar a escolaridade no próximo ano letivo em Cabo Verde.

A entrega do material foi feita ontem por Jorge Volante, presidente da FENACAM, ao chefe da Divisão de Programação, Formação e Certificação do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, Rui Vaz, que assegurou que o equipamento escolar chegará a Cabo Verde em breve.

 

O donativo da FENACAM, que contou com o apoio das cerca de 70 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo existentes em Portugal, consiste em 'kits' escolares - lápis de cor, lápis, borrachas, réguas, entre outros -, bem como 917 sacos mochila e 650 bonés de criança.

 

"É a raiz solidária das Caixas de Crédito Agrícola, que praticam a solidariedade, a nossa matriz com responsabilidade social, a nossa origem cooperativa, o nosso modelo de banca cooperativa. Já tivemos mais experiências em colaborar com os PALOP e este ano pensamos ter esta colaboração, em conjunto com a Embaixada de Portugal em Cabo Verde", disse à agência Lusa Jorge Volante.

 

"(Este ano) Pensámos nisto para cobrir necessidades que sabemos que as crianças em Cabo Verde têm. Sentimos isso. E esta é uma forma de colaborarmos também na divulgação da língua portuguesa", acrescentou.

 

O presidente da FENACAM destacou a "longa tradição" da parceria com a cooperação portuguesa, tendo já colaborado com vários dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP - Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe), bem como com Timor-Leste.

 

Jorge Volante, que não adiantou o montante global em causa, indicou que, à semelhança de outras iniciativas, a FENACAM fez um pedido às cerca de 70 Caixas Agrícolas para contribuírem com um mínimo de 50 euros, tendo havido uma "resposta positiva" de todas elas.

 

Rui Vaz, por seu lado, considerou a iniciativa "ótima e louvável", o que representa "um esforço da sociedade civil para corresponder a necessidades" que são detetadas no terreno.

 

"Trata-se de um contributo muito direto às populações, como, aliás, é apanágio da Caixa Agrícola em Portugal, sempre muito próxima das pessoas. Em nome da Embaixada de Portugal em Cabo Verde, só temos de agradecer esta iniciativa, que terá agora o nosso melhor apoio localmente para fazer estes 'kits' às crianças que dele necessitam", afirmou.

 

Rui Vaz assegurou que o instituto Camões tem estruturas no terreno e que, através da embaixada portuguesa na cidade da Praia, o material será distribuído localmente em articulação com as autoridades cabo-verdianas.

 

9 de agosto de 2017

Lusa

 

Partilhe: Facebook Twitter