título

Gilson da Costa vê no YALI'19 uma oportunidade de alargar os conhecimentos na área da liderança comunitária

O jovem cabo-verdiano está a fazer uma formação em Liderança na Rutgers University, considerada a maior instituição de ensino superior de Nova Jérsei, nos Estados Unidos.

Natural do Tarrafal (Santiago), Gilson da Costa, de 28 anos, é um dos seis jovens cabo-verdianos que estão nos EUA ao abrigo do programa YALI.

 

Jovem santiaguense adianta ao SAPO que vê "no YALI uma oportunidade de alargar os conhecimentos na área da liderança comunitária e com isso contribuir mais para o desenvolvimento da sua comunidade".

 

"Trabalho na área do desenvolvimento social há seis anos com a organização Delta Cultura, e antes disso fui participante de vários projetos da mesma Organização. Por isso, sinto que é a minha responsabilidade social comprometer-me a ajudar a desenvolver a minha comunidade inspirando crianças e jovens a serem mais conscientes, críticos, responsáveis, determinados e criativos", diz o jovem que acredita que o YALI dispõe das ferramentas ideais para o "fortalecer como individuo, como cidadão, e como líder de forma a cumprir com as suas aspirações".

 

Gilson da Costa, que está a fazer uma formação na área de Liderança Cívica na Rutgers University, considerada a maior instituição de ensino superior de Nova Jérsei, nos Estados Unidos, espera poder partilhar e adquirir conhecimentos e experiências com outros participantes.

 

Trabalha como coordenador no Centro de Educação da Delta Cultura no Tarrafal daí que quer "conhecer a realidade dos EUA a nível de organizações que prestam serviço social às comunidades", "das comunidades periféricas dos EUA" e projetos implementados para dar respostas às necessidades das mesmas".

 

Sendo este um programa de intercâmbio cultural, Gilson gostaria igualmente "conhecer a cultura, realidade e os projetos levados a cabo pelos contemporâneos africanos e partilhar a sua com os estes".

 

"(Quero) melhorar a minha prática de liderança no que se refere ao planeamento estratégico, angariação de fundos, tomada de decisões e orientação para tratar de questões sociais e globais e que afetam a minha comunidade. Também expandir a minha rede profissional de forma a ajudar a minha organização a fortalecer parcerias e cooperações atendendo às demandas da minha comunidade".

 

De regresso ao país, o jovem pretende pôr em prática os conhecimentos adquiridos "através da elaboração e implementação de projetos de empoderamento de indivíduos no sentido de contribuírem mais para o desenvolvimento das suas comunidades, bem como através da partilha de conhecimentos e experiências com outras organizações e a sociedade civil em si".

 

Outro aspeto salientado pelo tarrafalense é a sensibilização da sociedade civil para os problemas que afligem a comunidade e a procura de soluções para resolver essas questões, através de ações colaborativas com outros YALIs, com a sua organização (Delta Cultura) a com a sociedade civil".

 

Leia também:

Dossier YALI no SAPO Estudante


+ Jovens selecionados para o programa YALI 2019 prometem “crescer para ajudar Cabo Verde”

 

SAPO

11 de julho de 2019

Partilhe: Facebook Twitter