título

Giselle Rodrigues: “Terminei o curso mas tive que regressar ao liceu”

Estudantes Crioulos pelo Mundo

A jovem natural do Mindelo é licenciada na área de Hotelaria e Turismo pela Universidade privada del Valle, na Bolívia e é apaixonada pela culinária.

Giselle Aracy Delgado Rodrigues tem 27 anos e reside desde 2007 na cidade de Cochabamba, na Bolívia. Terminou os estudos há dois anos mas devido às burocracias do sistema educativo da Bolívia, foi obrigada a regressar ao 12º ano e ainda aguarda pelo diploma.
 
Estudou na ilha do Monte Cara, no Liceu Ludgero Lima, e em Junho de 2007, ao terminar o 12º ano, candidatou-se a uma vaga de estudos na Bolívia. “Era um país diferente, barato, não exigiam muita documentação e não era preciso aguardar para uma vaga na respectiva universidade”, conta.

Giselle escolheu a área de Hotelaria e Turismo porque queria seguir os passos do pai que trabalha no ramo na ilha do Sal. “Tive a oportunidade de acompanhá-lo em várias viagens de trabalho, gostava do ambiente, de conhecer pessoas/idiomas diferentes, de viajar e de interagir com os turistas”, afirma

No dia 26 de Julho de 2007, a jovem viajou para Cochabamba para dar início aos estudos.

“No início do curso gostava mais da interacção com o turista, mas com o passar do tempo descobri a minha verdadeira vocação na área de Planificação Turística que visa aumentar o desenvolvimento social e económico do país”.

Segundo a estudante, o turismo em Cabo Verde é uma actividade mais voltada ao estrangeiro. “Cabo verde tem grande potencial turístico mas o governo precisa investir mais nas pessoas locais com conhecimento e formação na área”.

Giselle concluiu os estudos em finais de Junho de 2013, mas devido às diferenças existentes no sistema educativo cabo-verdiano e boliviano, juntamente com outros estudantes cabo-verdianos, teve que voltar ao passado.

“Terminei o curso mas tive que regressar ao liceu. Depois de legalizar os documentos exigidos na secretaria de educação da Bolívia, SEDUCA, fiz 16 disciplinas do 12º ano num liceu público”, conta indignada com a situação.

Giselle já estagiou num hotel 5 estrelas, numa agência de viagens e no Aeroporto Internacional Jorge Willsterman.

Apaixonada por doces


Giselle também dedica-se à sua outra paixão que é a culinária. A jovem começou a dar os primeiros passos nessa área aos 11 anos na cidade do Mindelo e hoje é dona de uma página no Facebook “My Sweet Cupcake” onde divulga as suas criações.

“Sempre gostei de programas televisivos sobre culinária e na minha família há excelentes cozinheiras. Comecei por observar e a ajudar em pequenas tarefas. Aos 11 anos fiz o meu primeiro prato, uma feijoada de ervilha, e a partir daí passei a ser a cozinheira da casa”, recorda.

Antes de viajar para a Bolívia a jovem fez uma pequena formação na empresa de confeitaria “Puratos”, na cidade da Praia. Mais tarde, já em Cochabamba, Giselle passou a fabricar bolos para aniversários de amigos/colegas.


Recentemente, com a colaboração de alguns amigos, criou a página no Facebook “My Sweet Cupcake”.

Sobre planos para o futuro a jovem pretende fazer uma pós-graduação, regressar ao país de origem e abrir uma pastelaria especializada em bolos temáticos e inovadores.

 

“Antes de iniciar os estudos na área de Hotelaria e Turismo, a minha ideia era trabalhar na área de planificação turística, mas hoje em dia a paixão pela culinária fala mais alto”, conclui.

 

Veja as fotos dos docinhos da Giselle AQUI

 

Acompanhe os estudantes cabo-verdianos que estão a ser bem sucedidos lá fora no Dossier "Estudantes Crioulos pelo Mundo" no SAPO Estudante

 

Aline Oliveira/SAPO CV

 


08 de Junho de 2015

Partilhe: Facebook Twitter