título

IILP projecta parceria com Uni-CV para promoção da língua portuguesa

A direcção do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), com sede na Cidade da Praia, está a projectar, para este ano, uma parceria com a Universidade de Cabo Verde para a promoção da língua portuguesa.

Em entrevista à Inforpress para uma projecção das actividades direccionadas para Cabo Verde, o director executivo do IILP, Incanha Intumbo, disse que depois do conhecimento e de integração na realidade cabo-verdiana, este ano vão alargar os horizontes e colaborar com entidades específicas.

 

Apontou a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) como o seu principal alvo, visto que, segundo disse ali há “muita riqueza”.

 

“Temos uma Cátedra de Língua Portuguesa e estudos de língua portuguesa que o IILP pensa, dentro das suas possibilidades, tentar motivar os nossos parceiros.  Parece que há falta de estudantes nesses cursos e vamos tentar com a Uni-CV fazer algumas actividades que, eventualmente, motivem as pessoas a abraçarem o curso de línguas”, anunciou.

 

Para este linguista, o curso de línguas não é fácil, apesar de muitas pessoas pensarem que é, e a seu ver, não basta apenas saber uma língua para a ensinar, mas sim é necessário saber qual é a metodologia adequada para se ensinar essa língua.

 

Conforme disse, muitos países ensinam o português como se ela fosse a sua língua materna ou a língua primeira, mas ela não é, e isso tem criado uma certa barreira linguística nas crianças dos países que têm como língua materna o crioulo de Cabo Verde e da Guiné-Bissau.

 

“As crianças (…) quando vão para o ensino formal têm que fazer a transição, ou do crioulo cabo-verdiano para o português, ou das línguas africanas da Guiné para o português, e há uma série de entraves ou barreiras linguísticas que é preciso que o ensinador domine para estar à vontade na sala de aula e para poder ter sucesso”, criticou, avançando que vão colaborar com a Uni-CV no sentido de porem cobro a essa situação.

 

A convicção desse guineense eleito para o biénio de 2019/2020 e a convicção das direcções executivas anteriores desta instituição da comunidade de países africanos de língua portuguesa é que “o português vive em coabitação com muitas outras línguas num clima de respeito”.

 

Para a direcção executiva, informou, o “português não é melhor que as outras línguas africanas”, mas ela é a língua que “une os povos de diferentes campos do mundo”, pois é “a língua que dá acesso ao conhecimento”.

 

Por outro lado, sublinhou, não consideram que o crioulo seja prejudicial ao português, mas antes pelo contrário, o crioulo colabora na divulgação do léxico da língua portuguesa.

 

“As nossas línguas influenciam o português, o português influência a nossa língua.  As nossas línguas enriquecessem com algumas características do português, mas também com o léxico português. Há léxicos específicos que não existem nas nossas línguas, então nós pegamos na palavra portuguesa e encaixamo-la na nossa língua e africanizamo-la”, frisou.

 

Ainda, no âmbito das actividades programadas para Cabo Verde, avançou que a cidade do Mindelo, São Vicente, acolhe de 04 a 08 de Fevereiro de 2020 as I Jornadas de Língua Portuguesa, um espaço de reflexão e de divulgação do conhecimento em torno do ensino da Língua Portuguesa.

 

De acordo com uma nota informativa divulgada no ‘site’ oficial do Instituto Camões, o evento pretende-se com este evento criar espaço para a partilha de práticas e metodologias plurais, adequadas ao contexto linguístico e cultural de Cabo Verde.

 

O Instituto Internacional da Língua Portuguesa é uma instituição da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) com sede na Cidade da Praia.

 

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tome e Príncipe e Timor-Leste.

 

O IILP tem como objectivos fundamentais a promoção, a defesa, o enriquecimento e a difusão da língua portuguesa como veículo de cultura, educação, informação e acesso ao conhecimento científico, tecnológico e de utilização oficial em fóruns internacionais.

 

SAPO/Inforpress

 

21/01/2020

Partilhe: Facebook Twitter