título

Ministra da Educação destaca importância das novas tecnologias no processo de ensino aprendizagem

A ministra da Educação destacou hoje a importância das novas tecnologias no reforço do processo de ensino e aprendizagem e que se forem utilizadas de forma eficiente poderão ser um "importante aliado" na complementaridade do processo.

Maritsa Rosabal falava durante a cerimónia de abertura de um ciclo de webinar “Juntos a responder aos desafios da covid-19 no contexto de encerramento e reabertura de escolas nos países africanos lusófonos”, a que presidiu, e que teve hoje como tema “Desinformação em tempos de pandemia”.

 

A governante lembrou que esta pandemia obrigou a todos a interromper as actividades lectivas devido as medidas de contingência que foram utilizadas para conter a propagação da covid-19, frisando que os alunos foram privados de participar presencialmente no processo de ensino e aprendizagem.

 

“As crianças e os adolescentes se viram privados de apoios importantes como por exemplo a alimentação diária que tinham nos estabelecimentos educativos, tudo isto fez com que a pandemia trouxesse imensas incertezas e desafios não só a nível da informação, mas a nível de rotina dos alunos”, realçou.

 

Esta pandemia, referiu Maritsa Rosabal, a nível do sistema educativo obrigou a uma adaptação rápida, levando quase a uma verdadeira revolução dos sistemas, sobretudo a forma como o ensino pode ser desenvolvido, salientando que a pandemia de covid-19 veio modificar o conceito da sala de aula.

 

A também ministra da Família e Inclusão Social destacou, neste sentido, a importância das novas tecnologias no reforço do processo de ensino e aprendizagem, que no seu entender, tornou-se uma alternativa para que o ano lectivo tivesse uma complementaridade.

 

“Consideramos que a tecnologia, quando está sendo utilizada de forma eficaz, pode ser um instrumento de apoio ao ensino e aprendizagem, mas poderá ser sempre complementada com o contacto humano. Este uso alternativo de tecnologias como aliado da educação não pode ser utilizado para aprofundar a distância entre os alunos”, observou, sublinhando que a pandemia não pode contribuir para a promoção da exclusão social no seio académico.

 

A ministra da Educação apelou, por outro lado, ao esforço concertado a todos os níveis no sentido de se suprir as disparidades na comunidade académica e dotar os alunos e estabelecimentos de ensino de ferramentas tecnológicas, de segurança sanitária, visando vencer os desafios da pandemia do novo coronavírus.

 

Afiançou ainda que o Governo está a envidar esforços para reforçar e garantir o bom funcionamento da educação à distância, que conforme sustentou, passa pela montagem de um canal televisivo exclusivo para a educação, que está em curso.

 

SAPO c/ Inforpress

 

01 de setembro de 2020

Partilhe: Facebook Twitter