título

Miriam Livramento: "Este programa foi apogeu na minha formação pessoal, académica e profissional"

A jovem de 28 anos foi uma dos seis bolseiros cabo-verdianos selecionados em 2018 para participar no programa destinado a jovens líderes africanos designado como Mandela Washington Fellowship, no âmbito da iniciativa YALI.

Nasceu na Boa Vista, mas cresceu na ilha do Sal e, mais tarde, formou-se em Nutrição e Dietética, na cidade de Natal, no Brasil. No âmbito do YALI, a jovem esteve durante seis semanas na Universidade de Syracuse, no estado de Nova Iorque, para uma formação em gestão publica.

 

De regresso a Cabo Verde, contou ao SAPO, na primeira pessoa, como foram as seis semanas nos EUA.

 

“O programa MWF, sem dúvidas, foi um apogeu na minha formação pessoal, académica e profissional. Uma oportunidade que me proporcionou a experiência única de partilhar Cabo Verde, conhecer a realidade Americana e ao mesmo tempo descobrir e me apaixonar por uma África distinta da que conhecia, através de perceções de uma juventude inovadora, capaz e comprometida com as causas sociais que desafiam o continente e que estão a desenvolver projetos maravilhosos nos seus países (inclusive os de Cabo Verde)", revela.

 

Segundo Miriam, durante a estadia nos EUA, a jovem foi "exposta a uma inspiradora e intensa dinâmica académica, laboral e cultural em três cidades americanas: primeiro em Syracuse, na Maxwell School of Citizenship and Public Affairs da Syracuse University, juntamente com 24 jovens de 17 países africanos, de seguida com mais de 700 jovens lideres africanos em Washington DC, e, finalmente em Philadelphia, para a experiencia de desenvolvimento profissional (PDE)".

 

"Neste percurso foi possível criar uma rede de contatos com entidades e pessoas de diferentes áreas de atuação, principalmente no desenvolvimento de politicas públicas alimentares, segurança alimentar e inovação nos EUA e em África. Possibilitou-me aprimorar as minhas habilidades técnicas e de comunicação, reafirmar a minha perspetiva e identidade de liderança e principalmente conhecer pessoas com a mesma visão e que reconhecem a necessidade da ação local e transversal para a transformação conjunta da realidade do continente".

 

A nutricionista foi uma das selecionadas para uma estadia de mais 6 semanas nos EUA onde teve a oportunidade "de ser recebida e de criar uma promissora parceria com a renomada ONG de caracter nacional The Food Trust, sediada na cidade de Philadelphia, que atua no desenvolvimento de politicas públicas alimentares, promoção da educação nutricional, garantia do acesso e do incentivo a escolhas alimentares saudáveis em setores como o escolar e o comunitário, campos estes que vão de encontro com o perfil das atividades de cunho social que tenho realizado e outras que almejava implementar.

 

"Durante 6 semanas pude conhecer a dinâmica de trabalho americano sob a supervisão do Diretor das Relações Exteriores da TFT em todos os setores do meu interesse na organização, assim como participar em workshops, reuniões da Philadelphia Food Policy Advisory e congressos como o 48th Annual Legislative Conference - Congressional Black Caucus".

 

Miriam foi igualmente eleita representante de Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, para integrar o 2018 West African Regional Advisory Bord, um conselho de 10 membros do programa que durante 12 será a representação de toda a diversidade dos bolsistas da África Ocidental e trabalhará com a USAID (United State Agency for International Development Administrator) e o IREX (International Reserch and Exchange Board) nos programas de seguimento dos bolsistas financiada pela USAID em África.

 

A jovem natural da Boa Vista, diz estar "inspirada e pronta para a ação". "Para já pretendo promover o movimento #BeInspiredBeInspiration, um projeto que reunirá a mentoria, a promoção do espirito de voluntariado e cidadania em jovens de todas as idades e a ação comunitária em uma única plataforma". Neste projeto, Miriam diz que já conta com a parceria do The Food Trust "para dinamização na área da educação nutricional e acesso e incentivo a escolhas saudáveis e que esta aberto a colaboração de todo e qualquer Cidadão de boa vontade".

 

À semelhança de outros bolseiros, Miriam Livramento também recomenda" vivamente aos jovens do país que venham fazer parte da iniciativa YALI e que se candidatem ao 2019MWF, pois, o programa é uma fonte inigualável de oportunidades de aprendizado, parceria e sobretudo, inspiração".

 

É de recordar que as inscrições para o programa Mandela Washington Fellowship, no âmbito do programa Jovens Lideres Africanos, YALI, já se encontram abertas no site oficial do programa e decorrem até o dia 10 deste mês (outubro).

 

 

+ Dossier YALI no SAPO Estudante

 

8 de outubro de 2018

SAPO

Partilhe: Facebook Twitter