título

Politécnico de Leiria promove inclusão em Cabo Verde e Brasil

Uma equipa do Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID) esteve nos dois países.

O Instituto Politécnico de Leiria está a promover as boas práticas para a inclusão social em Cabo Verde e no Brasil, através da equipa do Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID) da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS).

 

Numa nota de imprensa, o Politécnico de Leiria informou hoje que a coordenadora do CRID, Célia Sousa, e a coordenadora do mestrado em Comunicação Acessível da ESECS, Carla Freire, estão a participar como oradoras no VI Encontro Nacional de Acessibilidade Cultural, a convite da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que decorre no Brasil, até sexta-feira.

 

O CRID, por intermédio de Célia Sousa e Luís Vicente, participaram ainda na 1.ª Conferência Internacional para a Inclusão "A deficiência no centro da atenção", organizada pelo governo cabo-verdiano e pela Associação Colmeia - Associação de Pais e Amigos de Crianças e Jovens com Necessidades Especiais - com a qual o Politécnico de Leiria tem protocolo de cooperação desde 2016 -, dando apoio na elaboração da documentação em ‘braille' e às pessoas cegas que participaram na conferência.

 

Como coordenadora do CRID, Célia Sousa esteve em Cabo Verde como consultora do governo local, a dar formação a docentes em tecnologias de apoio na educação inclusiva, no âmbito de um projeto para a inclusão e acessibilidade financiado pelas Nações Unidas, informa o Politécnico de Leiria.

 

O CRID é considerado "um modelo de boas práticas internacional no que toca a inclusão, sendo-lhe reconhecido um ‘know-how’ e trabalho feito únicos a favor da sociedade", refere ainda a nota.

 

SAPO/Lusa

 

8 de novembro de 2018

 

Partilhe: Facebook Twitter