título

Reitora reeleita da Uni-CV promete “elevar a qualidade” do ensino superior público em Cabo Verde

A cerimónia de posse aconteceu ontem, dia 27, no campus da Uni-CV.

A reitora reeleita da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Judite do Nascimento, disse ontem, dia 27, na Praia, que vai trabalhar no sentido de encontrar mecanismos para “elevar a qualidade” do ensino superior público em Cabo Verde.

 

“Os novos desafios se resumem em encontrar mecanismos para elevar a qualidade do ensino superior público e satisfazer as expetativas da sociedade, dos estudantes e do Estado”, sublinhou Judite do Nascimento, durante a cerimónia de posse, no campus da Uni-CV.

 

A melhoria das condições de funcionamento dos laboratórios e salas especiais de apoio ao ensino e à investigação, a viabilização de projecto de ciências da saúde através da implementação do programa de mestrado integrado em medicina, são algumas das metas apresentadas pela Judite do Nascimento.

 

A reitora afirmou que a Uni-CV tem “muitos desafios pela frente”, e deve passar por uma “multiplicação de oportunidades de mobilidade internacional” e de “participação em consórcios internacionais de investigação” para docentes-investigadores, estudantes e funcionários.

 

“Reforçar a internacionalização aumentando as oportunidades de participação em programas de mobilidade internacional, em redes internacionais de investigação e em áreas prioritárias”, conforme declarou, é uma outra aposta da reitora reeleita.

 

Na ocasião, a reitora apontou como desafio também a necessidade de promover um “novo modelo de gestão” da Uni-CV, fomentando “melhores condições” de funcionamento e de trabalho para docentes e funcionários.

 

O reforço da internacionalização da Uni-CV e criação de oportunidades de acesso a cursos livres de melhoria da proficiência em línguas estrangeiras, através da instalação dos Institutos de línguas, literatura e cultura, Instituto Confúcio, Instituto Donna Moher Faria de Língua Inglesa e o Instituto de Língua Francesa, são outros desafios da Uni-CV.

 

“Vamos desenvolver mecanismos para apoiar os estudantes com maiores dificuldades, nomeadamente estrangeiros e portadores de deficiência ou com dificuldades em acompanhar as matérias”, sublinhou.

 

Constam também dos desafios da Uni-CV, a ascensão hierárquica nas redes internacionais em que a universidade pública se integra, nomeadamente na Universidade Virtual Africana e na Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP).

 

A Uni-CV, segundo a sua reitora, pretende ainda promover as pós-graduações com destaque para a viabilização do mestrado em integração regional africana e de três doutoramentos em áreas prioritárias.

 

O reforço dos laços com o Governo pela criação de uma “nterface para a garantia da relevância da missão”, acções e efeitos multiplicadores sobre o desenvolvimento sustentável do país, assumindo o papel que cabe à instituição, enquanto universidade pública, foi apontado também como prioridade do mandato.

 

O secretário de Estado da Educação, Amadeu Cruz, na sua intervenção, por seu lado, disse que Governo está a trabalhar no sistema de ensino superior público e privado, com o objectivo adicional de propiciar “melhor entrosamento” entre as universidades e o sector produtivo e, assim, aumentar as possibilidades de inserção dos jovens licenciados e diplomados no mercado de trabalho.

 

“A promoção do desenvolvimento e do crescimento económico deverá ser suportada numa economia do conhecimento e da inovação, geradora de empregos e de prosperidade para todos, o que pressupõe a mobilização da sociedade e da comunidade académica para juntos empreendermos as mudanças e as reformas que se mostram indispensáveis, nomeadamente nos domínios da educação, do ensino superior, da ciência e das tecnologias”, salientou Amadeu Cruz.

 

Durante o seu discurso, Amadeu Cruz disse que o Governo vai “intensificar e sistematizar” o trabalho conjunto com a Uni-CV, tendo em vista a reapreciação do modelo de organização institucional e de funcionamento do ensino superior público em Cabo Verde.

 

“Visando a implementação da estratégia do Governo para o desenvolvimento do ensino superior público, estamos a ponderar sugerir à Uni-CV a reestruturação do ensino das ciências agrárias e das artes de modo a servir melhor o norte da ilha de Santiago e as ilhas do sul”, sublinhou o secretário de Estado da Educação.

 

28 de março de 2018

 

SAPO / Inforpress

Partilhe: Facebook Twitter