título

Santiago Norte: Associação dos Professores de Santa Catarina e Picos entrega fontanários às escolas do EBI

A Associação dos Professores de Santa Catarina e Picos (APROSPI) entregou ontem, 14, mais três fontanários às escolares do EBI de Rincão e Nhagar (Santa Catarina) e Chão Rodrigues (São Salvador do Mundo) com “água potável de qualidade”.

Os três fontanários, todos com capacidades para 1000 litros de água e com filtro para que tenham água “o mais puro possível”, foram financiados pela embaixada da Austrália em Lisboa (Portugal), no montante de um milhão de escudos.

 

Em declarações à imprensa, no final do ato de entrega na escola do Ensino Básico e Integrado (EBI) de Chão Rodrigues, o presidente da APROSPI, Lúcio Mendes, informou que ao todo esta organização, nos últimos anos, já construiu oito fontanários com água potável de qualidade, sendo dois em Picos, São Salvador do Mundo e seis em Santa Catarina.

 

Conforme explicou, o objeto é continuar a construir fontenários para que daqui há alguns anos todas as escolas dos dois concelhos tenham um bebedouro, com “mais capacidade, mais condições e com água fria permanente” para que os alunos possam beber e sem risco de doenças, por conter água “potável de qualidade”.

 

Na ocasião, o também professor aproveitou e instou os alunos a beberem muita água, mesmo não estando com sede “por ser bom para a saúde”.

 

Aos pais e encarregados de educação presentes pediu que deem aos filhos uma “garrafinha” para levaram para escola e que cuidem da mesma para estar sempre limpa, com o propósito de se evitar que se faça troca de copos nos bebedouros, e assim evitar doenças contagiosas.

 

Por outro lado, a mesma fonte informou que tendo em conta que sobrou uma “quantia significativa” desse montante, ou seja, foram gastos neste projeto cerca de 900 contos, a APROSPI vai pedir autorização do financiador para investir a nível de infraestruturas na escola do EBI de Chão Rodrigues.

 

Para os alunos, a construção desse fontanário “chegou em boa hora”, uma vez que vai resolver um problema antigo daquela escola, que é falta de água potável para beber, que contribuirá, igualmente, para o bem-estar de toda a comunidade académica.

 

Agradecendo os financiadores e a APROSPI, prometeram fazer de tudo para preservarem a obra ora inaugurada.

 

 

SAPO / Inforpress

15.05.2018

Partilhe: Facebook Twitter