título

São Vicente: Sala de recurso capacita professores com novas técnicas

A formação de três dias visa capacitar professores com novas técnicas de apoio à aprendizagem.

A sala de recurso e a equipa pedagógica de São Vicente promovem a partir de hoje uma formação de três dias que visa capacitar professores com novas técnicas de apoio à aprendizagem para crianças com deficiências visuais.

 

A formação, que decorre na sala multi-uso da escola do Ensino Básico Integrado (EBI) do Campinho, na cidade do Mindelo, vem na sequência de um curso com duração de um ano, entre teoria e prática, sobre atendimento para crianças com necessidades educativas especiais, realizado em parceria com a universidade de Santa Catarina do Brasil, segundo explicou a coordenadora Arminda dos Reis.

 

“Nós viemos com a missão de replicar, principalmente a parte prática, para os professores com crianças com cegueira total e/ou com baixa visão, daí a realização desta formação para professores que trabalham com essas crianças, tanto no período de manhã como no período da tarde”, explicou a coordenadora.

 

Segundo Arminda dos Reis, o conteúdo da formação incide-se sobretudo na vertente prática, no que diz respeito a orientação e mobilidade, considerado um “problema muito sério”, e que consiste na adaptação do espaço dentro do contexto educativo às necessidades da criança para a ajudar a locomover-se da melhor forma possível.

 

Para além de trabalhar a orientação e a mobilidade, durante a formação os professores irão trabalhar, conforme adiantou Arminda dos Reis, na confecção de materiais próprios e adaptados para trabalhar com crianças cegas e com baixa visão.

 

“São materiais simples, inclusive de reciclagem, que trabalhados da forma correcta podem ser bastante úteis para auxiliar as crianças no seu processo de aprendizagem onde podem ter várias noções, como por exemplo, de textura e temperatura”, explicou.

 

A coordenadora da formação informou ainda que, neste momento, em São Vicente existem nas escolas do ensino básico menos de 10 crianças cegas e um número um pouco mais elevado de crianças com baixa visão, mas que têm prognostico de cegueira.

 

A formação é dirigida a 57 professores no total, embora nem todos têm casos de cegueira nas respectivas salas de aula, mas que se manifestaram interesse nesta capacitação que os poderá ajudar com situações futuras.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a deficiência visual é o comprometimento parcial (de 40 a 60%) ou total da visão.

 

Não são deficientes visuais pessoas com doenças como miopia, astigmatismo ou hipermetropia, que podem ser corrigidas com o uso de lentes ou em cirurgias.

 

 

Inforpress

 

29 de janeiro de 2018

Partilhe: Facebook Twitter