título

Uni-CV promove colóquio para refletir sobre importância da língua francesa para Cabo Verde

O colóquio é promovido em parceria com o Instituto de Língua Francesa (ILP).

A Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) está a refletir sobre a importância da língua francês para o arquipélago, através de um colóquio internacional que reúne na cidade da Praia professores/investigadores cabo-verdianos da França e do Senegal.

O 1º Colóquio Internacional sobre “L’enseignement du français comme vecteur de développement économique et d’intégration sous-régionale du Cap-Vert” (O ensino de francês como vetor do desenvolvimento económico e de integração sub-regional de Cabo Verde), promovido em parceria com o Instituto de Língua Francesa (ILP), arrancou hoje e decorre até terça-feira, 21.

Em declarações à Inforpress à margem da abertura do evento, presidida pela ministra da Educação e ministra da Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal, a presidente da Faculdade das Ciências Sociais, Humanas e Artes da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Cristina Pires Ferreira, disse que o encontro acontece no quadro das comemorações do Dia Internacional da Francofonia, assinalado hoje, 20 de março.

“É um colóquio que visa refletir sobre a importância da língua francesa para Cabo Verde e, particularmente, na integração do país na sub-região africana que é essencialmente francófona, tanto a nível económica, cultural como científica”, frisou, indicando que o encontro de dois dias vai ajudar a compreender melhor o papel da língua e da cultura francesa neste processo de integração.

Para esta responsável, a língua francesa em Cabo Verde tem um estatuto privilegiado, já que, historicamente, a nível do ensino, desde antes da independência tem havido investimentos importantes nesta língua que “une Cabo Verde a sub-região africana, mas também ao mundo”, tendo em conta que o país faz parte da Organização Internacional da Francofonia (OIF).

Ao fazer a sua intervenção na abertura do evento, a reitora da Uni-CV, Judite Nascimento, realçou que o colóquio vai permitir a aproximação da comunidade universitária aos conferencistas internacionais, mas também permitir a implementação do mestrado em “Língua francesa, língua segunda”.

“Para além de permitir a implementação do mestrado em “Língua francesa, língua segunda”, essa troca de experiências, certamente irá contribuir para o desenvolvimento de novos projectos e a consolidação de projetos que já existem entre a nossa comunidade académica e a comunidade académica das universidades que nos visitam, notou.

Por outro lado, Judite Nacimento defendeu que a promoção do francês permitirá a Uni-CV contribuir para facilitar a integração, não só dos imigrantes, mas no acolhimento dos turistas, ressaltando que a universidade pública tem formado, anualmente, uma média de 25 estudantes de francês desde o antigo Instituto Superior da Educação (ISE).

Presentes na abertura do colóquio, estiveram a embaixadora do Senegal em Cabo Verde, Seynabou Dial, a encarregada de Negócios da Embaixada do Luxemburgo no arquipélago, Angèle da Cruz, o presidente do Instituto do Património Cultural (IPC), Charles Akibodé, a diretora geral do Instituto de África Ocidental (IAO),Djénéba Traoré e opresidente do Instituto Universitário da Educação (IUE), António Jesus.

O 1º Colóquio Internacional sobre “L’enseignement du français comme vecteur de développement économique et d’intégration sous-régionale du Cap-Vert” tem caráter científico e tem como objetivo contribuir para a dinâmica reflexiva sobre a promoção do ensino do francês e da língua francesa na sociedade cabo-verdiana, bem como valorizar o papel do francês como vetor de desenvolvimento económico e de integração.

SAPO c/ Inforpress
20 de março de 2017

Partilhe: Facebook Twitter